Browse By

Livia Nery e Luiza Lian apresentarão novo show em SP

O show contará com músicas do repertório de ambas as cantoras. Imagem: Divulgação/Caroline Bittencourt

Em São Paulo, no dia 18/02, as cantoras Livia Nery e Luiza Lian unirão forças ao vivo pela primeira vez. Com um formato inédito, a baiana (Nery) e a paulistana (Lian) apresentarão o show Beco do Sossego, que trará ao palcos versões intimistas e reconstruídas do repertório de ambas.

Diferente dos shows de Estranha Melodia (álbum lançado por Livia Nery em 2019), a apresentação terá um número menor de pessoas envolvidas – as duas cantoras terão apenas o apoio de João Paulo Deogracias nos instrumentais, Ligia Chaim na luz e Gabriel Leite no comando do som.

Para saber mais sobre a trajetória da cantora baiana e sua nova parceria, confira a entrevista cedida por Livia Nery ao Noise Gate:

Em junho, o Estranha Melodia completará um ano de existência. Como tem sido a experiência de apresentar esse trabalho solo pelo Brasil inteiro?

Posso dizer que não comecei fazendo os shows de uma maneira muito confortável. Nós [ Livia e sua banda formada por Aline Falcão, Bruno Marques, João Deogracias]  tivemos que buscar uma maneira de transpor as músicas ao palco sem fugir muito daquilo registrado no disco – mas também dando a liberdade para criar uma forma boa de expressão para o ao vivo. Por isso, no começo, me questionava se eu gostava mesmo de palco, pois demorei um pouco para ficar totalmente à vontade. Agora, oito meses depois, estamos entendendo bem melhor como a banda e o disco se resolvem para dar seu melhor. Me sinto mais segura no palco. Já consigo cantar coisas que antes não esperava que fosse conseguir. Acho que entendo mais o meu lugar e a melhor forma de me expressar com o corpo. Com certeza, o processo dos shows me ajudou a amadurecer este lado.

E como está funcionando a relação do material de Estranha Melodia com o seu público? Sei que o disco traz um conteúdo muito íntimo e relacionado à sua infância e criação entre Salvador e o Interior da Bahia.

Isso é muito interessante. Sempre comentei que o trabalho possui esse trajeto, mas tem também conta muito com o aspecto da minha formação musical. Eu escutava muitos discos de todo o mundo. Não só em vinil com meus pais e avós, mas também online. Em um local como a Bahia, que nem sempre recebia todo tipo de música, conseguia baixar sons de lugares muito diferentes. Lembro do impacto de quando ouvi pela primeira vez o trip hopcom um olhar meio rupestre, buscava entender aquela música baseada em uma tecnologia que não necessariamente era acessível no Nordeste. Tive uma gama grande de universos para observar. Então, confio que essa mistura deu um caldo bom para as pessoas que vêm meu show; elas têm curtido o som e isso é incrível.

De onde surgiu essa ideia para o show com Luiza Lian?

Será o meu segundo show com alguma pessoa convidada. O primeiro foi com Curumin em Salvador, mas ele já é meio de casa [o músico trabalhou na produção de Estranha Melodia e é amigo de Livia há alguns anos]. Com Luiza é um pouco diferente. Ainda estou construindo uma relação e fortalecendo o diálogo com ela. O show marcará nosso primeiro encontro musical, mas já a acompanho há algum tempo. Quando vi os shows dela para o disco Oyá Tempo, percebi que sua obra tem um universo poético que eleva, pois utiliza um curioso relacionamento com a religiosidade e um certo grau de misticismo. Tenho muita simpatia com esse propósito. Por isso, quando o Alexandre Matias me chamou para fazer um show especial, pensei de imediato em fazer esse projeto com ela. Trabalhamos juntas em novos arranjos para as músicas de Oyá Tempo, Azul Moderno e também Estranha Melodia.

Vocês duas estão em momentos muito bons, mas também distintos da carreira. Ela já está trabalhando no quarto disco e você lançou o seu primeiro há menos de um ano. Como enxerga esse show na sua trajetória?

Como ela tem mais estrada que eu, acho que sua participação entrará como um brilho a mais ao nosso show. Para mim, também faz parte de um momento em que estou buscando experimentar outras formas de trabalhar com música, talvez mais como uma produtora. É algo que pode guiar os novos trabalho que vierem pela frente. Estou animada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *